4 maneiras de recuperar a vida no poder do Espírito e da Palavra

Nov 29, 2018 | Holy Spirit, Portuguese, Scripture | 0 comments

Jesus respondeu: “Errais, não conhecendo as Escrituras, nem o poder de Deus” (Mateus 22:29).

O batismo no Espírito tem sido uma experiência decisiva no meu discipulado para Jesus Cristo. Eu me lembro bem da noite. Eu tinha dezesseis anos, estava irritado, magoado e inseguro. Eu havia acabado de participar de um culto de adoração pentecostal e respondido ao convite do pastor para receber o batismo do Espírito. Nada aconteceu comigo quando o pastor orou.

Naquela noite, sozinho no meu quarto, eu clamei a Deus por sua presença. Por volta da meia-noite, experimentei o poder e a presença do Espírito de maneira intensa e esmagadora. Não foi “falar em línguas” que me impressionou—eu me senti abalado pela experiência direta do amor, graça, perdão, cura, segurança, esperança, alegria e presença fortalecedora de Deus. Desde aquela época, tive um forte desejo de conhecer a presença transformadora e fortalecedora do Espírito.

Recentemente, um bom amigo me apresentou o trabalho de R.T. Kendall, pastor e escritor que pastoreou a Capela de Westminster por 25 anos. Ele é o autor de mais de 50 livros e um escritor e comunicador envolvente.

Eu não concordo com tudo o que R.T. Kendall escreve; e eu nem sempre concordo com a sua interpretação das Escrituras. Mas sua principal tese me impressionou fortemente: houve um “divórcio silencioso” na igreja entre a Palavra e o Espírito, e estes devem ser trazidos de volta para que a igreja seja saudável e bíblica. Hoje, a igreja deve recuperar o poder da Palavra e Espírito combinados e inseparáveis.

Eu posso ver a separação da qual R.T. Kendall está falando, na minha própria vida e experiência na igreja. Eu cheguei à fé no pentecostalismo e passei anos experimentando o poder e a presença do Espírito Santo em profecias, na paixão espiritual, em curas, na coragem para testemunho e na fé expectante. Mas a atenção ao sólido conhecimento e interpretação bíblica era frequentemente fraca. Então, mudei-me para as igrejas evangélicas e passei anos experimentando um ensino sólido, pregação expositiva, interpretação sólida e uma visão elevada das Escrituras. Mas a atenção ao poder e presença e liderança e renovação do Espírito Santo era muitas vezes inexistente ou fraca. Em outras palavras, experimentei em primeira mão os efeitos da separação da Palavra e do Espírito na igreja.

Então, eu tenho me perguntado cada vez mais ultimamente, “Como podemos trazer a Palavra e o Espírito de volta, para que os cristãos possam conhecer os efeitos transformadores da verdade e do poder de Deus para o mundo e para a vida?”

Aqui estão quatro maneiras de fazer isso.

1. Procure conhecer as Escrituras e o poder de Deus

Em Mateus 22: 23–33, Jesus está envolvendo os saduceus em um debate sobre o casamento na ressurreição. Ele bate com força nesses líderes religiosos com estas palavras: “Errais, não conhecendo as Escrituras, nem o poder de Deus”. É claro que Jesus acredita que esses líderes religiosos nem sabem o que as Escrituras dizem sobre a ressurreição, muito menos o poder de Deus para fazer coisas sobrenaturais, surpreendentes e transformadoras do mundo.

Seus erros de interpretação bíblica e fé superficial e corrompida surgem diretamente do fato de que eles não conhecem as Escrituras ou o poder de Deus. No entanto, Jesus conhecia ambos. No versículo 33, vemos que as multidões ficaram “admiradas” (impressionadas) quando o ouviram (como em Lucas 9:43 e Atos 3:10). Jesus tinha a capacidade de surpreender com suas palavras tão facilmente quanto com seus símbolos e fascínios – ambos produziam a mesma reação. Isto é porque Jesus andava no poder da Palavra e do Espírito. Devemos procurar conhecer os dois também.

Jesus vivia no poder da Palavra e do Espírito. Nós devemos também.

2. Buscar integrar a Palavra e o Espírito na fé e na vida

O Espírito não significa apenas milagres, símbolos e fascínios. Nem a Palavra significa apenas exposição e doutrina. Isso seria desenhar a distinção com muita clareza – os dois são integrados e expressos em conjunto.

Os cristãos descobrem a vida e a presença fortalecedora de Deus quando integram a Palavra e o Espírito em todas as partes de sua comunidade, testemunho e vida. Deus é honrado e glorificado quando duas coisas se unem – as Escrituras e o poder de Deus – estas não podem ser mantidas separadas ou isoladas. Trazer as duas juntos incendeia o coração dos crentes e da igreja – inflama a missão, a esperança, a fé, o amor, a comunidade, a alegria e o testemunho do povo de Deus.

Alguns teólogos dizem que você não pode dividir a Palavra e o Espírito. Em certo sentido, isso é verdade. Mas em outro sentido, é possível proferir a Palavra sem o poder do Espírito e vice-versa.

Jesus disse que os saduceus eram ignorantes tanto da Palavra quanto do poder – mas com alguns, nos dias atuais, é a ignorância de um ou de outro. Alguns detectam heresia ou ortodoxia fria a uma milha de distância, mas não conseguem ver o que está faltando em sua própria tradição. Nenhuma dessas ênfases no Espírito ou na Palavra está errada, mas elas devem ser combinadas!

Se quase 30 anos de ministério me ensinaram alguma coisa, é que a doutrina sólida, a pregação expositiva e uma visão elevada das Escrituras são críticas – mas também precisamos recuperar a vitalidade e o poder espiritual; o poder e os dons do Espírito Santo. Esses dois não devem apenas coincidir; eles devem ser integrados e inseparáveis.

Nossas igrejas e ministérios continuarão a lutar enquanto negligenciarmos um ou outro. A igreja continuará a lutar até que não seja um ou outro, mas apaixonada e comprometida tanto com as Escrituras como com o poder do Espírito Santo.

3. Procure renunciar ao orgulho espiritual e a um espírito impossível de ser ensinado

Pode ser difícil fazer com que os pentecostais (ou movimentos carismáticos e renovadores) aprendam com os evangélicos (movimentos centrados na palavra) e vice-versa. Ambos os lados pensam que estão certos e que não têm nada a aprender com o outro. Mas precisamos renunciar a esse orgulho espiritual, isolacionismo e espírito impossível de ser ensinado.

Os saduceus diziam que não há ressurreição do corpo. Eles tinham pouco respeito pelo profético ou pelo poder de Deus. Eles abraçaram uma ortodoxia legalista morta. Eles estavam determinados a alegar que suas características doutrinárias estavam corretas e que Jesus de Nazaré deveria ser ignorado.

Mas Jesus diz que esse tipo de religiosidade é um engano. Para ser honesto, essa religiosidade e orgulho espiritual são expressos tanto nos movimentos do Espírito quanto nos movimentos da Palavra. Jesus disse que eles estavam errados, porque eles estavam “enganados” – eles, arrogantemente, achavam que estavam certos; mas eles não conheciam realmente as Escrituras nem o poder de Deus.

Deus não quer nada com orgulho espiritual – nem orgulho do poder espiritual nem orgulho da ortodoxia bíblica.

O espírito impossível de ser ensinado e o orgulho religioso dos saduceus levaram à ignorância – eles nem sequer estavam familiarizados com aquilo em que eles declaravam ser especialistas. Aqui está algo que me preocupa muito. Temos uma geração de pessoas que não conhecem suas bíblias e uma geração que é igualmente ignorante do poder de Deus. Precisamos abordar essa questão e ela começa com a renúncia ao orgulho acadêmico, evangélico ou pentecostal (todas as formas de orgulho espiritual!) e abraçar corações receptivos ao ensino e humildade.

4. Procure viver diariamente no poder transformador da mudança de mundo do Espírito e da Palavra.

Como ex-pastor e agora professor em uma faculdade de teologia, preciso me perguntar constantemente: “Estou procurando experimentar e viver no poder e na presença de Deus? A presença fortalecedora de Deus infunde, dá vida e anima o meu ensino? E esse desejo pelo poder e presença de Deus é verdadeiramente integrado a uma paixão pela Palavra de Deus?”

Acho que todos nós precisamos nos perguntar sobre esse tipo de questão, regularmente.

Viver no poder da Palavra e do Espírito não se trata apenas do estudo bíblico e da confiança nas Escrituras, ou dos símbolos e fascínios e dos dons do Espírito. Viver na vida da Palavra e do Espírito significa combater a injustiça, enfrentar a exploração, cuidar da criação, acolher o estranho e ver o Espírito na arte, na beleza, na cultura e na criação. Trata-se de confrontar questões de raça, preconceito, discriminação e reconciliação.

Viver no poder da Palavra e do Espírito significa expressar o fruto do Espírito, ser generoso e satisfeito, cuidar dos pobres e quebrantados e amar nossos inimigos. Viver no poder da Palavra e do Espírito envolve abraçar a ética social radical do Sermão da Montanha e das Bem-Aventuranças. Trata-se de ser um povo que vive uma vida (juntos e no mundo) que alerta as pessoas para o controle e domínio universal de Deus. Trata-se de abandonar velhas dicotomias (Palavra–Espírito, sagrado–secular, proclamação–justiça social, e assim por diante) e abraçar a vida integral e integradora do Espírito. Trata-se de viver em uma postura de discernimento e atenção: acompanhando o Espírito e caminhando na dependência diária de sua liderança, presença e poder.

O que acontece quando os cristãos abraçam a Palavra e o Espírito? Deus é glorificado, vidas são transformadas, missão é cumprida, comunidade é revitalizada, e a igreja experimenta, novamente, a presença fortalecedora de Deus (sua presença santa, purificadora, verdadeira, encorajadora e transformadora).

Graham Hill

Graham Hill (PhD) is the Founding Director of The GlobalChurch Project – www.theglobalchurchproject.com. He is Senior Lecturer at the University of Divinity. In July 2019, Graham begins in the role of Research Coordinator at Stirling Theological College (University of Divinity). Graham has written 6 books. His latest three books are “Global Church: Reshaping Our Conversations, Renewing Our Mission, Revitalizing Our Churches” (InterVarsity Press, 2016), “Salt, Light, and a City, Second Edition: Ecclesiology for the Global Missional Community: Volume 1, Western Voices” (Cascade, 2017), and a co-authored book with Grace Ji-Sun Kim called “Healing Our Broken Humanity: Practices for Revitalizing the Church and Renewing the World” (InterVarsity Press, 2018)

© 2018 All rights reserved. Copying and republishing this article on other Web sites, or in any other place, without written permission is prohibited.

0 Comments

Submit a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *

0 Comments

Submit a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Want to be mentored?

Want to be mentored into a slower, deeper, and fuller discipleship, ministry, and life?

 

Books

Don't forget to buy Graham Hill's books:

  1. Healing Our Broken Humanity
  2. Global Church
  3. Salt, Light, and a City (second edition)

 

CONNECT WITH US

FOLLOW US ON SOCIAL NETWORKS

Join our mailing list now for FREE resources

You have successfully subscribed! Get 100+ free videos here: https://theglobalchurchproject.com/videos/

Share This